segunda-feira , 23 julho 2018
Home / Comportamento / 4 Coisas para você Lembrar Quando Sentir que o Medo Está te Levando pra Trás
Medo

4 Coisas para você Lembrar Quando Sentir que o Medo Está te Levando pra Trás

Não tente esconder de seus medos ; eles não estão lá para assustá-lo . Eles estão lá para que você saiba que algo vale a pena.

 

  1. Pensar demais sobre tudo não leva a nada.

O medo nos torna vítimas e nos paralisa. Quando permitimos que o medo domine nossos pensamentos, fechamos todos os nossos caminhos e estacionamos na vida. Travamos nos perguntado “E SE…” para tudo, obtendo sempre respostas negativas, pensando em tudo de errado que pode acontecer. Acabamos invocando imagens mentais péssimas e criando cenários do pior resultado que uma situação poderia ter. Nosso cérebro, cheio de medo, deixa de reconhecer os sucessos do passado e torna-se totalmente aterrorizado com o que está por vir. Daí surge a inquietação e a incerteza, prendendo-nos num ciclo negativo

A solução? Pare de pensar e começar a fazer! Não tenha medo de mudanças.

 

  1. Você não está esgotado fisicamente, o medo está fazendo você se sentir assim.

Quando o medo toma conta da nossa mente, nosso corpo responde: somos inundados de adrenalina e nossos mecanismos de defesa natural entram em “estado de alerta”. Esse tipo de defesa e tais sensações físicas são importantes, e inclusive nos salvam, mas quando estamos confrontado uma situação de real perigo a nossa sobrevivência.

Se pensarmos bem, momentos de real perigo são poucos; evidentemente ocorrem, como em situações de assaltos, se tentam nos agredir fisicamente ou algo do tipo. O que ocorre é que nosso cérebro (mente) trabalha em uma velocidade diferente de nosso corpo físico. Quando ficamos criando situações mentais negativas, automaticamente nosso corpo entende que estamos em perigo e ativa todos os mecanismos de defesa orgânicos, nos intoxicando. A adrenalina e outras substâncias, nos colocam em “velocidade máxima”, e quando a ação dessas substâncias vão cessando, vem aquela sensação de esgotamento físico. Em estágios mais avançados, podem ocorrer palpitações, respiração rápida e até um certo pânico, como se você estivesse tendo uma premonição que algo muito ruim vai ocorrer a qualquer momento.

Nossos sentimentos de medo travam nosso entusiasmo, nosso poder de realização, e paramos de progredir.

Tudo está na cabeça. Respire fundo e foque-se na verdade, não nas fantasias terroristas que seu cérebro está gerando.

 

 

  1. Você é bom o suficiente.

O medo provoca a “síndrome do impostor”. Você entra num jogo interno de questionamentos: sou bom o suficiente? E se eu não tiver forças para resistir? E se, e se, e se… É como se você sentisse que não é realmente bom e que mente para as outras pessoas que tem dons, habilidades e capacidades.

Quando permitimos que nossos cérebro aloje esse tipo de pensamentos, é um sinal que o medo é mais forte em nós do que nossa confiança. Quando questionamos as oportunidades que ocorrem em nossas vidas (um novo trabalho, um novo relacionamento, um elogio etc.) significa que inconscientemente sentimos medo de que alguém vá descobrir a “verdade”, vá descobrir quem realmente somos.

Temores perturbam a nossa capacidade de pensar com clareza e experimentar a emoção de situações positivas que ocorram em nossas vidas. O medo trava nossa positividade porque nós nos convencemos inconscientemente que, somos uma fraude, que não somos bons o suficiente. Temores fazem nosso cérebro pensar que tudo que aconteceu de bom em nossas vidas não foi por nossa capacidade, e sim por sorte ou coincidência.

Você tem que mudar esse tipo pensamento negativo, tem que identificar quando estiver nessa vibração e ordenar que sua mente pare imediatamente, fazendo afirmações positivas sobre si mesmo(a) para combater esse mal. Ninguém, nem nada pode fazer você se sentir inferior sem o seu consentimento.

 

 

  1. Você não está sozinho ao sentir medo e solidão.

Talvez a mais poderosa maneira do medo travar o nosso entusiasmo e positivismo é nos fazendo recuar diante de situações. Quando permitimos que a insegurança substitua nossas emoções, nos tornamos envergonhados e abrimos uma porta para o medo. Começamos a acreditar que ninguém mais está vivendo o que estamos passando ou jamais iria sentir como estamos sentindo. Resultado? Nos acorrentamos em zonas de conforto. Resultado? Desprovidos de qualquer alegria, envergonhados e com medos que sequer sabemos a origem correta, nós nos entregamos a solidão e as desconfianças, que por sua vez alimentam ainda mais os nossos medos.

Mas você não está sozinho! Centenas de pessoas passam por situações iguais ou piores.

Estamos todos juntos nessa. Quebremos esse ciclo destrutivo!


 

Desprenda-se do medo. Destitua o poder que você deu ao medo, retire dele o poder que você concedeu a ele sobre você, impedindo que ele te bloqueie!

Quando sentir algum medo infundado, transmute-o para o sentimento de gratidão. Lembre-se da fresta de esperança contida em cada situação aparentemente temível e tome uma atitude! Conforme você vai encarando e enfrentando seus medos, gradualmente, você notará que a realidade não é tão assustadora quanto parece.

Sua vez…

Eu adoraria saber o que você pensa! Como o medo já estacionou sua vida? O que ele já impediu (ou dificultou) que você realizasse? O que você fez no passado para quebrar este ciclo de medo? Por favor, deixe um comentário abaixo e compartilhe seus pensamentos e experiências. Eles podem ajudar outras pessoas que se encontrar em uma situação difícil!

 

Abraços 😉

Comentários

comentários

About Carlos Machado Jr (Caju)

Leonino com ascendente em Sagitário. Estudo e me interesso por mediunidade, espiritualidade, astrologia, esoterismo, Umbanda, psicologia, parapsicologia, comportamento, religiões, orixás, ocultismo, oráculos, filosofia e mais uma dezenas de temas. :-)

Deixe uma resposta